15 abril 2009

A crise mundial da água

O déficit hídrico mundial que já está estimulando as importações de grãos pesados em um grande número de países pequenos, pode em breve fazer o mesmo em países maiores, como a China e a Índia. Os lençóis freáticos estão diminuindo em potencial nos países incluindo o Norte da China, os Estados Unidos e Índia, devido à generalização do uso de poderosos motores diesel e bombas elétricas.

Na lista de outros países afetados incluem o Paquistão, Afeganistão, Irã e outros. Isto acabará por levar à escassez de água e de cortes na produção de grãos e colheita. Mesmo com o potencial de seus aqüíferos, a China está a desenvolver um déficte de grãos. Quando isso acontecer, irá quase certamente levar a elevação dos preços dos grãos para cima.

A maioria dos 3 milhões de pessoas projetados para serem acrescentados a população mundial em meados do século serão nascidos em países que já enfrentando escassez da água. Após a China e a Índia, há um segundo grupo de pequenos países com grande déficit hídrico Afeganistão, Argélia, Egito, Irã, México e Paquistão. Quatro destes ja importam uma grande parte dos seus grãos. Apenas o Paquistão continua auto-suficiente. Mas com uma expansão da população de 4 milhões por ano, provavelmente em breve também irá voltar-se para o mercado mundial de grãos.

A Terra tem um finito abastecimento de água doce, armazenada em aquíferos, águas de superfície e da atmosfera. Às vezes oceanos são confundidos com água disponível, mas a quantidade de energia necessária para converter água salina em água potável é impossível hoje, explicando por que apenas uma pequena fração do consumo mundial de abastecimento de água provém de dessalinização.

Entre as principais demonstrações da crise da água estão:

Acesso inadequado à água potável para cerca de 884 milhões de pessoas.

Acesso inadequado à água e saneamento para eliminação de resíduos de 2,5 mil milhões de pessoas.

Uso exessivo de produtos agricolas que impedem a diminuição da poluição dos recursos hídricos, prejudicando a biodiversidade.

Conflitos regionais por recursos hídricos escassos, por vezes resultando em guerra.

Doenças provocadas pela falta de tratamento de água sanitária doméstica são uma das principais causas de morte em todo o mundo.

Para crianças com menos de cinco anos doenças fluviais são a principal causa de morte. Em um determinado momento, metade dos leitos hospitalares do mundo são ocupados por pacientes que sofrem de doenças aquática.

Segundo o Banco Mundial, 88 por cento de todas as doenças são causadas por água potável insegura, saneamento inadequado e falta de higiene.

Um relatório das Nações Unidas 2006 centra-se nas questões da governação como o cerne da crise da água, dizendo "Não há água suficiente para todos" e "insuficiência de água" é muitas vezes devido à má gestão, corrupção, falta de instituições apropriadas, inércia burocrática e uma escassez de investimento em ambas as capacidades humanas e infra-estrutura física.

2 Comentários:

Anônimo disse...

obrigada isto me ajudou muito na minha pesquisa de ciências [aluna da quinta série do versailles]

Anônimo disse...

Munto bom me ajudo muito

Postar um comentário

Seja bem vindo ao Blog do Planeta.
Obrigado pela atenção dedicada.
Espero que tenham gostado do nosso conteúdo.
Fique a vontade para comentar.
Caso tenha problemas no comentário use o formulario logo abaixo.
Obrigado!
Cleisson

Referências e Tráfego
PageRank
Redes Sociais
Apoio

  © Planeta do Bem - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo