04 outubro 2010

Conhecendo o Parque Nacional do Araguaia

garça-azul Egretta caerulea
O Parque Nacional do Araguaia foi criado durante a gestão do presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, em 31 de dezembro de 1959, no norte do Estado de Goiás, atualmente Tocantins. Inicialmente, o Parque Nacional do Araguaia ocupava toda a área da Ilha do Bananal, cerca de 2 milhões de hectares. Atualmente, após as diversas mudanças em sua área, o Parque Nacional ocupa apenas uma pequena porção de terra no norte da Ilha, o equivalente a 180.056 hectares.


Está localizado ao norte da Ilha do Bananal, sudoeste do Estado do Tocantins. O Parque Nacional do Araguaia está situado em uma faixa de transição entre a Floresta Amazônica, o Cerrado e Pantanal, é constituído por diversas espécies da fauna, presentes nestes três biomas, além de uma cobertura vegetal bastante diversificada, apresentando vários cenários naturais de raras belezas.

Hoje, o Parque Nacional do Araguaia é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, por meio do Escritório local localizado na cidade de Pium, Tocantins. O objetivo principal não está em atrair turistas e visitantes e sim realizar as obras para preservação da grande diversidade biologica que existe no local.

O parque do Araguaia divide a Ilha do Bananal com reservas indígenas, entre as quais, a dos índios Carajás. A principal característica do Parque é sua ampla rede de drenagem, formada por vários rios de grande e médio porte. Alguns rios formam belas praias, de areias claras e praticamente desprovidas de vegetação durante a epoca de seca.  Já durante a época das chuvas e cheias, a área fica toda recoberta pelas águas, com exceção da parte conhecida como Torrão, onde se situa a sede do Parque.

A fauna do parque é rica e diversificada, apresentando animais que habitam o cerrado e a região amazônica. As espécies mais comuns são a onça-pintada, a arara-azul, o gavião real e a águia pescadora. Durante as enchentes periódicas ocorre a concentração da fauna terrestre nas partes altas, buscando proteção. No verão, a Lagoa Sorrocan, que é viveiro de jacarés, fica mais bonita, recebendo maior número de répteis. 

O  parque é um excelente local para observação da rica fauna brasileira.  Na área do parque observamos mamíferos ameaçados de extinção como o tamanduá-bandeira, o cervo-do-pantanal, a ariranha e os botos, aves como a ema, a arara azul e o uirapuru, só entre as aves são mais de 660 espécies.  Entre os répteis é possível ver a tartaruga-da-amazônia, sucuris, jibóias e o jacaré-açu.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Seja bem vindo ao Blog do Planeta.
Obrigado pela atenção dedicada.
Espero que tenham gostado do nosso conteúdo.
Fique a vontade para comentar.
Caso tenha problemas no comentário use o formulario logo abaixo.
Obrigado!
Cleisson

Referências e Tráfego
PageRank
Redes Sociais
Apoio

  © Planeta do Bem - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo