04 janeiro 2009

A Arca de Noé da África


O Vale do Rift é um complexo de falhas tectónicas criado há cerca de 35 milhões de anos com a separação das placas tectónicas africana e arábica. Esta estrutura estende-se no sentido norte-sul por cerca de 5000 km, desde o norte da Síria até ao centro de Moçambique, com uma largura que varia entre 30 e 100 km e, em profundidade de algumas centenas a milhares de metros.
Os rebordos da Grande Fenda são formados por cordilheiras onde se encontram os pontos mais altos do continente, incluindo os Montes Virunga, Mitumba e Ruwenzori. Muitos dos seus picos têm (ou tiveram no passado) actividade vulcânica, como os montes Kilimanjaro, Quénia, Karisimbi, Nyiragongo, Meru e Elgon, assim como as Crater Highlands in Tanzânia. O vulcão Ol Doinyo Lengai continua activo, sendo o único vulcão de natrocarbonatite no mundo. Outra zona vulcânica extremamente activa é o Triângulo de Affar, no Djibouti.O

O Monte Kilimanjaro situa-se no norte da Tanzânia, junto à fronteira com o Quénia. É o ponto mais alto de África, com uma altitude de 5895 m. Este antigo vulcão, com o topo coberto de neves eternas, ergue-se no meio de uma planície de savana, oferecendo um espectáculo único. O Monte e as florestas circundantes, com uma área de 75.353 ha possuem uma fauna rica, incluindo muitas espécies ameaçadas de extinção e constitutem o Parque Nacional do Kilimanjaro, que foi inscrito pela UNESCO em 1987 na lista dos locais que são Património da Humanidade.

O Monte Kilimanjaro, que tem sinais de grande actividade vulcânica no Pleistoceno, não se encontra totalmente isolado na planície africana, mas está acompanhado por três outros cones vulcânicos, orientados num eixo este-sudoeste: o mais antigo, Shira, a oeste, com uma altitude de 3962 m, Mawenzi a leste, com uma altitude de 5149 m e, entre eles, Kibo, que é o mais recente e mostra ainda sinais de actividade, na forma de fumarolas. Entre o Kibo e o Mawenzi há uma plataforma com cerca de 3600 ha, chamada a “sela” (“the Saddle”, em inglês), que forma a maior área de tundra de altitude em África.
Parque é habitat de numerosas espécies, fazendo dele um reduto de biodiversidade que urge preservar.
O degelo das geleiras no topo do Kilimanjaro é uma realidade. Estimadas em cerca 12 km² de extensão em 1900, recobrem hoje somente 2 km², e neste ritmo irão desaparecer em 2020. O aquecimento geral da Terra não explica este fenômeno, que pode também ser causado por uma lenta retomada da atividade vulcânica, que se manifesta por pequenas fumaças.
O Parque Nacional de Serengueti é um parque nacional de grandes dimensões (cerca de 13.000km²), no norte da Tanzânia, África. Ele é famoso pelas migrações anuais de gnus, zebras e gazelas que acontecem de maio a junho.

No Parque vivem mais de 35 espécies de grandes mamíferos como leões, hipopótamos, elefantes, leopardos, rinocerontes, girafas, antílopes e búfalos. O parque também possui hienas, chitas, macacos, além de mais de 500 espécies de pássaros.

Serengueti, na linguagem da tribo dos masai, a Maa significa "imensas planícies". Essa tribo vive nas dependências do parque e adjacências e parte do Quênia.

A cratera de Ngorongoro, é uma fascinante atração na Tanzânia.

É também considerada a Arca de Noé da África Oriental, por abrigar no seu seio a quase totalidade das espécies animais daquela região, integrados num ecossistema que ainda não foi afectado pela mão do homem. Observado do alto das suas falésias ou do fundo da sua vastíssima cratera, o Ngorongoro é um dos locais mais fascinantes de África.

De fato, a cratera de Ngorongoro é um lugar muito bonito, que abriga milhares de animais selvagens. Foi até chamada de “a oitava maravilha do mundo”, por alguns naturalistas, e pode-se entender o motivo.
A cratera fica a 2.236 metros acima do nível do mar e é a maior caldeira intacta, ou vulcão desmoronado, do mundo. Mede mais de 19 quilômetros de diâmetro e tem uma superfície de 304 quilômetros quadrados, sendo que dentro da cratera é surpreendentemente quente...Ao passo que o motorista percorre lentamente o fundo da cratera, passa-se por um pequeno lago salgado com muitos flamingos rosados. A borda da cratera que agora ficou para trás se destaca em contraste com o céu azul. Pode-se ouvir o barulho de zebras e gnus misturado com outros sons exóticos. Sem dúvida, é um paraíso!
Na cratera de Ngorongoro pode-se ver búfalos, elefantes, zebras, gnus, gazelas, rinoceronte-negros e cercopiteco-de-face-negra.Predadores como guepardos, hienas, chacais e leões de juba negra,hipopótamos.
Alem disso, há um grande números de "aves de belas espécies, incluindo avestruzes, abetardas, garças, garça-cristadas, garça-brancas, búfago-de-bico-vermelhos e incontáveis rosados flamingos... Há pica-paus, Apali de peito amarelo, Nilaus afer e papa-moscas-do-paraíso. O Macronyx ameliae de peito rosado pode ser visto no capim alto, e até mesmo uma espécie rara de gralha.

O lago Tanganica, ou Tanganhica (do seu nome em suaíli Tanganyika) é o segundo maior lago da África e é partilhado pela Tanzânia, República Democrática do Congo, Burundi e Zâmbia.

Está localizado no braço ocidental do Grande Vale do Rift, a uma altitude de 782 m, estende-se por 673 km numa direcção aproximadamente norte-sul – é o lago mais longo do mundo sem contar o Mar Cáspio -, com uma largura média de 50 km e tem uma profundidade máxima de 1470 metros. Estima-se que este lago seja o segundo mais antigo e mais profundo do mundo, depois do Lago Baikal na Sibéria (e o mais profundo de África). Cobre uma área de 32.900 km², tem uma linha de costa de 1.828 km e uma profundidade média de 570 m; o seu volume é estimado em cerca de 18.900 km³.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Seja bem vindo ao Blog do Planeta.
Obrigado pela atenção dedicada.
Espero que tenham gostado do nosso conteúdo.
Fique a vontade para comentar.
Caso tenha problemas no comentário use o formulario logo abaixo.
Obrigado!
Cleisson

Referências e Tráfego
PageRank
Redes Sociais
Apoio

  © Planeta do Bem - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo