28 fevereiro 2010

Preservação e ameaça aos rinocerontes


Todas as espécies de rinocerontes, hoje, estão ameaçadas de extinção, devido ao fato de serem muito pouco férteis (cada fêmea tem uma cria de dois em dois anos), além de sofrerem pela destruição do seu habitat. Estima-se que haja em torno de 12.000 animais no mundo. Todas as espécies são protegidas por leis locais. Nenhuma de suas espécies tem numero de individuos enquantidade segura para preservação. A espécie menos ameaçada é o rinoceronte branco. O rinoceronte de java conta com somente com cerca de 60 animais.

Rinoceronte branco Ceratotherium simum formam o grupo mais numeroso de todas as espécies de rinocerontes. É o segundo maior mamífero terrestre, com 2 metros de altura, 5 metros de comprimento e 4 toneladas de peso atras apenas do elefante. Apesar do nome sua pele é escura e lisa. Tem dois chifres, dos quais o anterior mede até 1,50 m de comprimento. Ele habita as zonas descampadas e planas da África, comparado às outras espécies é pacato e inofensivo. Por causa das queimadas e da exploração de minérios na África seu habitat vem sendo reduzido, colocando em risco a sobrevivência da espécie que ainda é classificada como quase ameaçada pela IUCN. Existem em torno de 8500 exemplares de Ceratotherium simum simun, o rinoceronte branco do sul, enquanto a subespécie Ceratotherium simum cottoni, o rinoceronte branco do norte, conta com provavelmente menos de 30 individuos.

Rinoceronte negro Diceros bicornis, mede, no máximo, 1,50 m de altura. Seus dois chifres, podem medir 50 e 70 cm de comprimento. Existem aproximadamente 3 mil pelas regiões africanas ao sul do Saara. Uma das quatro subespécies de rinoceronte negro, o rinoceronte negro do oeste Diceros bicornis longipes, foi declarado provisoriamente extinto em julhode2006. Em 2004 foi relatado que apenas 2.410 rinocerontes negros viviam livres na natureza. O rinoceronte negro chegou a beira da extinção por causa da caça ilegal e por perda de habitat. A população dos rinocerontes negros diminuiu 96% entre 1970 e 1992.

Rinoceronte indiano Rhinocerus unicornis, é um grande mamífero encontrado no Nepal e na Índia, Os machos pesam entre os 2200 e os 3000 kg e as fêmeas rondam os 1600 kg. Mede de 365 a 380 cm de comprimento e de 145 a 170 cm de altura. Com uma população de apenas 100 indivíduos no início do século XX, esta espécie já é um sucesso de conservação apresentando atualmente perto de 2500 animais. No entanto, a caça ilegal para a obtenção do chifre, que algumas culturas da região acreditam ter poderes curadores e a perda de habitat para a agricultura continuam a ameaçar a espécie. Os governos nepalês e indiano têm tomado medidas para proteger o rinoceronte indiano com a ajuda da WWF.

Rinoceronte de sumatra Dicerorhinus sumatrensis é a menor das espécies de rinocerontes e a que tem características mais primitivas. Como seus parentes africanos, possui dois chifres, sendo o anterior muito maior que o posterior. Apresenta uma pelagem marrom-acastanhada única entre os membros da família. Considerado em perigo crítico pela IUCN, sua população é de difícil determinação devido aos hábitos solitários, mas sendo estimada por volta de 300 animais. A população declinou mais de 80% em três gerações e espera-se um declínio de cerca de 25% dentro da próxima. Não há subpopulações maiores que cinqüenta indivíduos. O declínio da espécie é atribuído principalmente à caça predatória para o comércio ilegal dos chifres, que possuem um valor alto na medicina tradicional chinesa. Outros fatores são a perda do habitat para a agricultura, pecuária e indústria madeireira. Um programa de conservação e reprodução em cativeiro foi iniciado em 1984 na Malásia, entretanto a grande maioria dos animais morreu sem gerar descendentes. O programa foi então adaptado, para santuários ou centros de conservação.

Rinoceronte de java Rhinoceros sondaicus, atualmente é encontrado apenas em duas áreas de proteção, uma na ilha de Java, na Indonésia, e outra no Vietnã. O rinoceronte de java é a mais rara das espécies de rinocerontes, com uma população estimada em menos de 100 indivíduos divididos nas duas áreas de ocorrência. Não há registro de espécimes em cativeiro na atualidade, e o último exemplar em cativeiro morreu em 1907 no zoológico de Adelaide, na Austrália. A perda do habitat e caça predatória, pelo uso de seu chifre na medicina chinesa, foram as principais causas da redução populacional desses animais. E hoje, mesmo protegido nas reservas, ainda corre risco devido à perda da diversidade genética, doenças e pela caça ilegal. O rinoceronte de java é, provavelmente, o mamífero de grande porte mais raro da Terra, listado como Em Perigo Crítico e tem estado no Appendice I da CITES desde 1975. Esta espécie nunca se deu bem em zoológicos: o mais velho morreu com 20 anos, cerca de metade da idade que atingem no seu meio natural.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Seja bem vindo ao Blog do Planeta.
Obrigado pela atenção dedicada.
Espero que tenham gostado do nosso conteúdo.
Fique a vontade para comentar.
Caso tenha problemas no comentário use o formulario logo abaixo.
Obrigado!
Cleisson

Referências e Tráfego
PageRank
Redes Sociais
Apoio

  © Planeta do Bem - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo