01 maio 2011

Pica Pau Bico de Marfim Animal em destaque no planeta

Com aproximadamente 20 centímetros de comprimento, o Pica-pau Bico de Marfim Campephilus principalis é o maior dos pica-paus em todo o mundo. Os machos têm uma crista proeminente vermelha, já a crista da fêmea é negra.

O conhecimento sobre está espécie de pica-pau é limitada porque há poucos estudos aprofundados. A maioria das informações conhecidas vem de um estudo de três anos conduzido por James Tanner sobre uma população conhecida no Nordeste da Louisiana. Tanner concluiu que eles geralmente são territorialistas, mas quando os recursos alimentares tornam se escassos eles podem ser nômades.



Ornitólogos, hoje, especulam que essas aves podem viver entre 10 e 15 anos. Acredita-se que a reprodução é realizada entre janeiro e abril. O casal escava uma cavidade no alto de uma árvore morta ou na porção morta de uma árvore viva, onde fungos ja suavizaram a madeira. A entrada do ninho é oval, mais alta do que larga. A ninhada tem media de 3 ovos e apenas uma vez por ano. Ambos os sexos incubam os ovos e alimentam seus filhotes, que permanecem com os pais durante o verão e, em alguns casos até a próxima época de nidificação.

Os pica paus bico de marfim já habitaram grandes blocos de florestas no sudeste dos Estados Unidos, da Carolina do Norte até a Flórida e de oeste a leste do Texas ao Arkansas. Eles também habitavam florestas de pinheiros em Cuba.Ornitólogos acreditam que a espécie nunca foi abundante porque as populações foram limitadas pela disponibilidade de árvores mortas e recentemente por árvores grandes o suficiente para dar suporte para as cavidades para a nidificação.

O Pica pau do bico de marfim teve sua população declinada vertiginosamente na segunda metade do
século 19 porque as florestas foram cortadas para apoiar a crescente demanda por madeira e para liberar espaço para assentamentos e agricultura. A demanda por tecnologia e recursos para suportar as duas guerras mundiais, aumentou a taxa de desmatamento no seculo XX, dizimando seu habitat essencial. Além disso, o excesso de captura de aves para comercio, lazer, fins científicos e educacionais também contribuiu para queda do numero de aves. Em 1939, James Tanner estimava que 22 a 24 aves sobreviviam nos Estados Unidos.

A espécie está listada como criticamente em perigo e, possivelmente extinta pela União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN). Relatos de pelo menos um macho visto no Arkansas , em 2004, foram investigados e, posteriormente, publicados em abril de 2005 por uma equipe conduzida pelo Laboratório de Ornitologia de Cornell. No entanto não há confirmação definitiva dos relatórios, apesar de intensa busca ao longo de cinco anos após as aparições iniciais.

Apesar destes relatórios de alta visibilidade no Arkansas, Flórida e relatos esporádicos em outras partes, no intervalo histórico da espécie desde a década de 1940, não há evidências conclusivas da existência continuada do marfim faturado, ou seja, não existem fotografias inequívoca, vídeos, os espécimes, ou amostras de DNA de penas ou fezes.

5 Comentários:

Enaile Caroline disse...

Ola ..
peguei uma repostagem do seu blog
mas te dei os creditos pelo texto ;}
beijos :}

retriever disse...

Wonderfull blog ,interesting post, Greeting from Belgium

Anônimo disse...

Motivos cívicos de força muito grande forçam-me a usar o vosso mail para vincular este alerta,
Peço desculpa, desde já.

Por favor tomem conhecimento do conteúdo deste blogue e defendam-se:
http://recusecontadoresinteligentes.blogspot.com/

Passem e repassem a informação junto dos vossos amigos e colaboradores, é preciso que a verdade se saiba.
Obrigado

Postar um comentário

Seja bem vindo ao Blog do Planeta.
Obrigado pela atenção dedicada.
Espero que tenham gostado do nosso conteúdo.
Fique a vontade para comentar.
Caso tenha problemas no comentário use o formulario logo abaixo.
Obrigado!
Cleisson

Referências e Tráfego
PageRank
Redes Sociais
Apoio

  © Planeta do Bem - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo