06 março 2011

O Ártico continua encolhendo

Os problemas causados pelo aquecimento global estão cada vez mais perto da gente e afetando a rotina do dia a dia. Mas a situação é mais grave quando pensamos no âmbito de todo o planeta. O derretimento das geleiras nos pólos e o consequente aumento nos níveis de água dos oceanos preocupa cada vez mais.

O derretimento das geleiras do Ártico esta diretamente ligado a uma mudança no clima da região resultado do aquecimento global. Projeções cientificas indicam que o àrtico ficará totalmente sem gelo, no verão, entre 2060 e 2080 enquanto uma estimativa mais pesimista data 2030.


A região ártica mostra se mais sensivel ao aquecimento global que outras regiões do planeta. Os cientistas também apontam para a potencial liberação de metano provenientes da região do Ártico provocada pelo descongelamento das grandes geleiras.

O gelo ártico bateu recordes minimos de tamanho no mes de setembro, final do verão no norte, em 2002, 2005 e 2007. 39,2 por cento abaixo da média 1979/2000. Em 2007, o gelo do mar Ártico quebrou todos os recordes anteriores no início de agosto, um mês antes do final da temporada de degelo, com a maior diminuição da história, mais de um milhão de quilômetros quadrados. Foi a primeira vez na memória humana que a lendária Passagem do Noroeste abriu completamente.

Em 2008 e 2009, a extensão mínima do gelo foi superior a de 2007, mas não retornou aos níveis de anos anteriores. Além disso, estudos mostram um declínio dramático na idade do gelo e na espessura.

A taxa de declínio da cobertura de gelo do Ártico está se acelerando ano a ano. De 1979 a 1996, o declínio médio por década na cobertura de gelo era de 2,2% na extensão e de 3% na área. Para a década que terminou, esses valores subiram para 10,1% e 10,7%, respectivamente, essa e uma media comparavel com o mes de setembro, no norte, o final da temporada de verão quando, em média, a um recuo de 10,2% e 11,4%.

Um estudo de 2010 atribui o aumento recente da temperatura do Ártico ao aumento do degelo na região. A perda do gelo expõe a radiação solar sobre a água ao invés do gelo, que tem uma baixa reflectividade.

Liberação de metano

O gelo do mar serve para estabilizar os depósitos de metano perto da costa e impedir a sua saída para a atmosfera. Todo o metano liberado na atmosfera, então, está ajudando a aumentar o aquecimento adicional.

Estudos preveem que o degelo provoque um aumento de 5 cm no nivel do mar na Gronelândia durante o século 21. Também é previsto que a Groenlândia se torne quente o suficiente para uma quase completa perda do gelo nos próximos 1000 anos ou mais.

Fonte( Inglês)

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Seja bem vindo ao Blog do Planeta.
Obrigado pela atenção dedicada.
Espero que tenham gostado do nosso conteúdo.
Fique a vontade para comentar.
Caso tenha problemas no comentário use o formulario logo abaixo.
Obrigado!
Cleisson

Referências e Tráfego
PageRank
Redes Sociais
Apoio

  © Planeta do Bem - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo