22 março 2010

Desigualdades na América Latina, o problema da água

O acesso à água e ao saneamento básico na América Latina continua sendo insuficiente, em especial nas zonas rurais e para os pobres. Há também uma diferença substancialmente entre os países.

Em 2004, a percentagem da população abastecida com  água de qualidade variou de 54% no Haiti para 100% no Uruguai. No geral, 50 milhões de pessoas, ou 9% da população da América Latina e Caribe não têm acesso a água potávele 125 milhões ou 23% não têm acesso a saneamento de qualidade.



Chile e Argentina são os países com maior distribuição deágua tratada per capita, onde os recursos hídricos são abundantes e uso da água é quase 500 litros / habitante /dia. Enquanto que em La Paz, a capital da Bolívia, ha o menor acesso a água potável para a população com menos de 50 litros / per capita / dia. Nas zonas rurais, às vezes é inferior a este nível.

As diferenças na qualidade dos serviços entre os países e entre as cidades da América Latina são enormes e a alguns prestadores de serviços queatingem uma qualidade a nível dos países desenvolvidos.

De acordo com um estudo do Banco Mundial 2006 as tarifas médias de água da América Latina são os mais altas em comparação com qualquer região em desenvolvimento do mundo.

O nível de investimento em abastecimento de água e saneamento na América Latina está estimado em 0,12% do PIB para investimentos no abastecimento de água e no saneamento segundo o Banco Mundial.

Existem grandes diferenças na eficiência operacional dos serviços urbanos de água e saneamento na América Latina. Em termos de produtividade do trabalho, as empresas mais produtivas têm menos de 2 funcionários por 1000 ligações, essas empresas estão na Colômbia, no Chile e na Argentina entre outros. A produtividade do trabalho mais baixa é de empresa no Peru com mais de 15 empregados por 1.000 conexões. A média da amostra é de cerca de 5 empregados por 1.000 conexões.

Estratégia para melhorar os serviços
Melhorar a eficiência de prestadores de serviços.
Aumentar os investimentos em água e saneamento.
Expansão do acesso a serviços de água e saneamento, especialmente para os pobres.
Melhorar a qualidade do serviço.

Abastecimento de água e saneamento no Brasil
 O acesso ao abastecimento de água no país cresceu de 66% para 77% entre 1990 e 2006 e o acesso ao saneamento de 71% para 77% no mesmo período. O consumo de água com gastos domésticos em áreas urbanas é o segundo maior entre os 10 países da América Latina e Caribe pesquisados no final da decada de 1990. A média foi de 2,3% a  3,4% para as famílias mais pobres com deficit de renda.

3 Comentários:

lucidreira disse...

Devemos ficar sim preocupados com o problema da AGUA em nosso planeta, pois não temos ainda um outro astro ou planeta onde possamos buscar.
E o nosso continente Brasil está ameaçado...

Suziley disse...

É triste e preocupante tal situação...

Cleisson disse...

Se nós não nos preocurparmos com o bem mais vital que a natureza nos dá, então como será a vida daqui a alguns anos?
Começar uma disputa por água será o fim...

Obrigado por participarem amigos!

Postar um comentário

Seja bem vindo ao Blog do Planeta.
Obrigado pela atenção dedicada.
Espero que tenham gostado do nosso conteúdo.
Fique a vontade para comentar.
Caso tenha problemas no comentário use o formulario logo abaixo.
Obrigado!
Cleisson

Referências e Tráfego
PageRank
Redes Sociais
Apoio

  © Planeta do Bem - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo