05 fevereiro 2010

Gatos: te-los ou não te-los?


Os gatos são animais de companhia muito comuns na Europa e América do Norte, sua população, a nível mundial, é superior a 500 milhões. Em 1998, havia cerca de 43 milhões de gatos no Europa Ocidental, 33 milhões na Europa Oriental, Sete milhões no Japão e três milhões na Austrália.

Um relatório de 2007 indicou que cerca de 37 milhões de domicílios nos Estados Unidos tinham gatos, com uma média de 2,2 gatos por residencia dando uma população total de cerca de 82 milhões. Isso é um pouco mais do que os 72 milhões de cães no país. Embora a propriedade de gatos seja mais comumente associado às mulheres a pesquisa relatou que os homens e as mulheres tinham a mesma probabilidade de possuir um gato. A proporção de gatos de pedigree para gatos sem raça definida varia de país para país, no entanto, em geral, os puros são menos de dez por cento da população total.

Todos os gatos são semelhantes em tamanho e anatomia, com corpos flexíveis e dentes e presas adaptados para caçar pequenas presas, é um predador especializado, o gato caça mais de 1.000 espécies de alimentos, utilizando a sua excelente visão e audição.

Embora sejam solitários, o comportamento social dos gatos domésticos é muito variável e amplamente disperso, grupos geralmente se unem em torno de uma fonte de alimento, tendo como base dos grupos fêmeas. Apesar de alguns gatos conviverem em colônias, os gatos não têm uma estratégia de sobrevivência social e sempre caçam sozinhos.

Para os gatos, a vida nas proximidades dos seres humanos e outros animais criados pelo homem, equivale a uma adaptação simbiótica social. Eles podem manifestar grande afeto para com os seus companheiros humanos, especialmente se eles forem pegos ainda muito jovens e forem tratados com carinho consistente.

Devido ao seu pequeno tamanho, os gatos domesticados não representam um grande perigo físico para o homem. No entanto, nos Estados Unidos são registradas cerca de 400.000 mordidas por ano, com 90% das mordidas provenientes de provocação do animal, este número representa cerca de uma em cada dez de todas as mordidas de animais.

Os gatos também podem representar um perigo para as mulheres grávidas, uma vez que suas fezes podem transmitir toxoplasmose. Uma grande percentagem de gatos é infectada com este parasita, com taxas de infecção variando de cerca de 40 a 60% em ambos os gatos domésticos e de rua em todo o mundo.

Apesar de apresentarem riscos para a saúde, as interações com os gatos podem trazer melhorias a saúde e reduzir as respostas ao estresse físico, também podem melhorar a saúde psicológica, oferecendo apoio emocional e dissipar os sentimentos de depressão, ansiedade e solidão. Na verdade, sua capacidade de fornecer o companheirismo e a amizade são razões mais comuns que levam uma pessoa a ter um gato.

”Saiba Saiba mais sobre Animais de Estimação

1 Comentário:

brasildobem disse...

Excelente postagem. Sou apaixonada por gatos e tenho um casa de Himalaias que adoro muito, o Max de 8 anos e a Mousse de dois e eles interagem muito com o ambiente de minha casa.
Grande abraço!
Janeisa

Postar um comentário

Seja bem vindo ao Blog do Planeta.
Obrigado pela atenção dedicada.
Espero que tenham gostado do nosso conteúdo.
Fique a vontade para comentar.
Caso tenha problemas no comentário use o formulario logo abaixo.
Obrigado!
Cleisson

Referências e Tráfego
PageRank
Redes Sociais
Apoio

  © Planeta do Bem - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo