29 novembro 2008

Tartarugas de Cabo Verde ameaçadas




Uma em cada três tartarugas que chegou este ano às praias da ilha cabo-verdiana da Boa Vista foi morta, indicam os cálculos dos ambientalistas, alertando que em uma década esta espécie pode estar extinta.Em perigo estão as tartarugas Caretta caretta que, de junho a outubro, procura as praias de Cabo Verde para pôr os ovos, e onde todos os anos também populares teimam em matá-las e comê-las.Em 1997, o governo de Cabo Verde proibiu a matança de tartarugas marinhas entre junho e fevereiro, mas, em 2002, tornou crime a morte de tartarugas em qualquer época do ano, uma lei que nunca convenceu os apreciadores da carne da caretta.Na ilha da Boa Vista, uma organização espanhola do grupo Natura 2000 foi a primeira a desenvolver um projeto de proteção às tartarugas, chefiado por Luís Felipe Lopez Jurado, biólogo e professor espanhol.Contatado pela Lusa, o biólogo explicou que no ano passado foram mortas mais de 1.000 tartarugas nas praias da Boa Vista e que este ano teriam sido mais de 600, enquanto quase 2.000 conseguiram pôr os ovos e voltar sãs e salvas para o mar.Apesar da diminuição de mortes, afirmou que "a este ritmo, dentro de oito a dez anos a população de tartarugas não será recuperável. Cabo Verde recebe a terceira maior população de tartarugas Caretta caretta do mundo, a maior parte na ilha da Boa Vista, onde em fevereiro deste ano o governo das Canárias anunciou um financiamento de 3 milhões de euros para a construção de um centro de pesquisa especialmente voltado para as tartarugas.Luís Felipe Lopez Jurado diz que é fundamental desenvolver um sistema de vigilância total das praias e acusou "meia centena de pessoas da Boa Vista" de estarem "a pôr em causa o patrimônio natural e o principal produto turístico da ilha"."Não compreendo como é que esse pequeno número de pessoas está a pôr em causa esse patrimônio. Não há vontade política em Cabo Verde para resolver o problema. Teoricamente sim, mas quando chega a hora da verdade as autoridades não fazem nada", disse.AçõesNuno Loureiro, professor da Universidade do Algarve, do sul de Portugal, percorreu durante mais de uma semana as praias da Boa Vista e disse à Lusa que há praias onde se vêem centenas de carapaças de tartarugas."Vi muitas ainda com vestígios de sangue, vi carros de matadores na praia, tartarugas acabadas de matar, e ninguém quer saber", afirmou.Jacquie Cozens, que na ilha do Sal é responsável pela SOS Tartarugas, disse à Lusa que na ilha ninguém é responsabilizado e que dois homens apanhados com tartarugas alegaram que não sabiam que era proibido e foram mandados embora.Depois, foi feita uma vala numa das praias, matando muitas tartarugas bebés, em total "falta de respeito pela lei", acusou, adiantando ainda assim que este ano apenas foram mortas 34 tartarugas na ilha do Sal.A SOS Tartarugas está desde 1º de junho patrulhando as praias do Sal, em alguns casos retirando ovos depositados em zonas de risco e colocando-os em incubadoras. Segundo Cozens, foi também feito um trabalho de sensibilização para o risco dos veículos nas praias.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Seja bem vindo ao Blog do Planeta.
Obrigado pela atenção dedicada.
Espero que tenham gostado do nosso conteúdo.
Fique a vontade para comentar.
Caso tenha problemas no comentário use o formulario logo abaixo.
Obrigado!
Cleisson

Referências e Tráfego
PageRank
Redes Sociais
Apoio

  © Planeta do Bem - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo